segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O que sugar da Semana de Moda do Rio ?



                                                                          fonte: www.vejario.abril.com.br









Com a proximidade do Fashion Rio, muitos veículos de comunicação dão ênfase ao assunto e o abordam das mais variadas e curiosas maneiras, uns superficialmente e outros com pesquisas interessantíssimas sobre o nosso mercado - que essa semana, mais do que qualquer outra, vai lucrar (e muito) com a moda. A capa da Veja Rio de ontem já anunciava: o que pensam os estilistas? A matéria (leia aqui) foi pautada em uma pesquisa com mais de 120 designers que trabalham em empresas cariocas e, sem dúvida, vale uma lida caprichada. Não só pelos profissionais, mais pelos consumidores comuns que, fatalmente, vão compreender melhor o mercado e o trabalho de um estilista da nossa cidade. Os dados da pesquisa revelaram também que mais da maioria desses profissionais atuantes no mercado trabalham em empresas de médio porte. Ou seja, ‘os’ cabeças que desfilam e apresentam as suas coleções no Fashion Rio são minoria da minoria, e quem faz de fato a moda carioca acontecer (em números, não em idéias) são esses simples mortais. As marcas exceções e suas idéias e gente confere nos desfiles a partir de amanhã, mixados nos dois eventos que se resume a semana de moda carioca: Fashion Rio e Fashion Business.

fonte: divulgação


Aliás, aí vai uma dica para quem comparecerá a algum dos eventos. Os desfiles são importantes, são únicos, são os difusores, são os comunicadores e tradutores do que a moda carioca almeja para o inverno 2012. Mas para os grandes estilistas chegarem até ele, muita água passa por debaixo dessa ponte – uma máxima verdadeira para o atual clima da cidade. Enfim, mais importante do que o glamour das passarelas e o esforço dos jornalistas de moda para desvendar tais coleções, é o que acontece por trás das tendas de desfile. As feiras e salões de negócios de moda – interpretados como coadjuvante aos desfiles – são os atores principais da semana de moda carioca, os que movimentam bilhões e que fazem do setor um dos mais lucrativos do país. De olho em inovação e informação, os estilistas, lojistas e profissionais aguardam bem mais do que os desfiles (esses a gente confere online 5 minutos depois do seu encerramento), aguardam também as palestras oferecidas pela organização do,s eventos. O Rio-à-Porter, por exemplo, divulgou sua super agenda de palestras que abordarão os mais variados  e fundamentais temas para os profissionais de moda. Eu vou bater ponto! Mais exclusivos e rentáveis intelectualmente que os desfiles, as palestras são os verdadeiros ‘fazem acontecer’ da semana, em minha opinião. Além de mim, qualquer profissional que comparecer a algum dos eventos, poderá desfrutar dessa informação gratuita, valiosa e organizada por profissionais respeitados como a galera da WGSN. E mais uma vez - mais do que os desfiles -, são esses dados sobre o mercado, comportamento, marketing, tendências, economia e pré-disposições futuras dos consumidores, que vamos abordar no caCOOL nas próximas pautas (e que,fatalmente, estarão refletidos nas passarelas de verão). Viva os desfiles, mas as palestras também!


Beijos, Carol Gama.


Um comentário:

  1. Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

    ResponderExcluir